Telemedicina: flexibilidade que combina com o presente e com o futuro

Com a evolução das plataformas de tecnologia, inúmeras atividades passaram a ser realizadas de forma digital. O mundo online deixou de ser exclusivo para interações entre amigos e entretenimento, e virou o novo meio para solicitar e executar serviços.

De forma fácil e rápida, é possível pagar contas, reservar um hotel, pedir uma refeição e receber uma consulta – tudo por simples comandos em um smartphone. Assim como outras áreas de grande importância, os sistemas de saúde se adaptaram para um novo estilo de vida, completamente digital.

Uma das principais inovações é a ascensão da teleconsulta, modalidade de atendimento por videochamada em que o paciente recebe acompanhamento médico de onde estiver. É possível receber um diagnóstico e iniciar o tratamento, com prontuários e receitas digitais, sem sair de casa. A partir daí, se eliminam as dificuldades com deslocamento, tempo de espera e superlotação de unidades de saúde. As barreiras geográficas também são vencidas, possibilitando atendimento entre pacientes e médicos de cidades distintas.

Antes das teleconsultas, a tecnologia sempre esteve presente na medicina, na infraestrutura e no maquinário dos grandes sistemas. A utilização de aparelhos cada vez mais modernos para exames e procedimentos cirúrgicos, contando inclusive com Inteligência Artificial, é fundamental para o avanço da saúde humana. Outro ponto de destaque é o armazenamento e gerenciamento de dados.

A gestão de dados clínicos, realizada com segurança e ciência dos titulares, pode ajudar na descoberta de tratamentos e análise das condições de uma população. A Big Data, área de estudo sobre coleta e armazenamento de um grande número de informações, tem sido incorporada pela modernização dos serviços de saúde.

O registro do histórico médico de um paciente e o acompanhamento de seu quadro clínico por um computador pode gerar respostas sobre determinada doença, impactando no tratamento de milhares de pessoas. Com a modernização dos atendimentos e o crescimento exponencial da quantidade de dados, as plataformas estão evoluindo e desenvolvendo algoritmos para análises mais eficientes.

A ciência acredita que, no futuro, os pacientes podem ser alertados antes mesmo de desenvolverem o quadro clínico. A detecção de padrões poderá prever epidemias ou o surgimento de novas doenças. A tecnologia se une ao trabalho dos profissionais da saúde e leva mais flexibilidade e conforto para os pacientes.


Data:16/02/2022

Categoria: Categoria 06

Compartilhe esse conteúdo: