Atendimento via telemedicina dobra em 2021 e podem chegar a 30 milhões neste ano, indica entidade

O uso da telemedicina no Brasil dobrou no ano de 2021, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital (Saúde Digital Brasil).

O estudo desenvolvido em janeiro aponta que os associados da entidade realizaram mais de 16,4 milhões de atendimentos ao longo do ano. Isso representa um crescimento de 113% em comparação às 10,2 milhões de consultas realizadas em 2020 pelos profissionais – que representam até 90% do mercado privado de telemedicina.

Os dados apontam que o setor está em amplo desenvolvimento, após o pontapé da pandemia de Covid-19. A telemedicina vem se mostrado uma modalidade confiável e prática, com uma forte adesão da sociedade. A média mensal de atendimentos, que era de 400 mil em 2020, também dobrou.

A popularização do setor se dá pela flexibilidade e conforto, mas também pela resolutividade. Ao longo da pandemia, se difundiu a ideia de que é possível receber um pronto atendimento ou iniciar e finalizar um tratamento com uma especialidade sem sair de casa.

O relatório de 2021 indica que 57% dos atendimentos de telemedicina realizados foram de consultas avulsas de pronto atendimento. E 21% foram primeiras consultas com médicos especialistas.

Expectativas para 2022

Para 2022, a Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital projeta um crescimento ainda maior, com expectativa de 30 milhões de atendimentos via telemedicina. E o aumento já pode ser sentido em dados.

A Rede de Saúde Integrada do Brasil (Dasa) aponta que, apenas no primeiro bimestre deste ano, a procura pelo serviço aumentou 226% – em comparação com o mesmo período de 2021. E a resolutividade dos atendimentos foi de 95%, indíce que mostra a eficácia da modalidade para os brasileiros.

Um das causas do crescimento de atendimento foi uma nova onde de Covid-19. Consultas de pacientes com suspeita ou confirmação do coronavírus aumentaram 324% nos dois primeiros meses, em comparação com 2021.

Outra área que se fortaleceu via telemedicina foi a de psicologia e psiquiatria. O semestre final de 2021 teve incremento de 299% nos atendimentos por queixas de saúde mental, em relação ao último semestre de 2020. Já esse ano, o crescimento já é de 97%.

“O que vivenciamos até hoje é uma jornada nunca vivenciada por nenhum outro setor em volume de atendimento. A telemedicina contribuiu substancialmente para passarmos mais tranquilamente por essa guerra. Teremos um pós-pandemia em que ela também será muito necessária e muito presente. Afinal, a sociedade aprendeu a viver com esse novo modelo” aponta Caio Soares, presidente da Saúde Digital Brasil.


Data:04/04/2022

Categoria: Categoria 06

Compartilhe esse conteúdo: